Felix Auger-Aliassime/Fotojump

Sensação no circuito mundial, o canadense Felix Auger-Aliassime, de 18 anos, disputará a grande final do Rio Open apresentado pela Claro contra o sérvio Laslo Djere, neste domingo, às 17h, no Jockey Club Brasileiro. O prodígio, que entrou na chave com convite da organização, se tornou o mais jovem a disputar uma final de um ATP 500. A série de torneios desse nível foi criada em 2009 e o detentor do recorde até então era o alemão Alexander Zverev, aos 19 anos, em Halle-2016. Neste sábado, na semifinal, Auger-Aliassime derrotou o experiente Pablo Cuevas, campeão da edição 2016, por 2 sets a 1, com parciais de 6/3, 3/6 e 6/3. Os ingressos podem ser adquiridos em tudus.com.br/rioopen .

Jogador da Next Gen da ATP, Auger-Aliassime ganhou admiração da torcida brasileira desde a estreia no Rio Open, quando derrotou o italiano Fabio Fognini, cabeça de chave número 2. Simpático e talentoso, vestiu até a camisa da seleção brasileira de futebol após uma de suas vitórias. Com a campanha no Rio, será o tenista mais jovem a aparecer no top 100 da ATP, na lista que sairá na segunda-feira.

“Estou vivendo momentos especiais aqui. Desde que cheguei, me senti muito bem.  Por onde passei, nos lugares que visitei, senti uma conexão, o público gostou de mim, está me apoiando. Tudo isso me ajudou nas partidas, para chegar na final. Espero que amanhã (domingo) seja assim também”, disse o canadense, que com a campanha no Rio Open já está entre os 60 melhores do ranking mundial.

Será a primeira partida entre Auger-Aliassime e Djere no circuito. “Ele também está numa ótima semana. Não acho que eu seja o favorito, talvez na visão da torcida. Mas será um jogo difícil. No final, ganhar ou não o título não é o mais importante. Quero buscar uma carreira de sucesso e não apenas ser lembrado por um título que ganhei com 18 anos. Não ligo para recordes”, acrescentou.

Assim como Auger-Aliassime, Djere disputará sua primeira final de um torneio ATP. Neste sábado, não precisou jogar para alcançar a decisão. Seu adversário, o esloveno Aljaz Bedene, sentiu uma lesão na perna direita e desistiu da partida.

“Não queria chegar à final dessa maneira, sem jogar, sinto por ele (Bedene)”, disse o jogador de 23 anos, responsável por eliminar na estreia o austríaco Dominic Thiem, oitavo do mundo e campeão do Rio Open 2017, primeira vitória dele sobre um tenista top 10.

Compatriota de Novak Djokovic, Djere tem o número 1 do mundo como exemplo, e acredita que o fato de eles viverem em um país que passou por guerras os torna mais fortes. “Temos a mentalidade de lutar até o final, uma motivação para enfrentar adversidades”, disse o sérvio, que contou ter passado por momentos difíceis na sua vida.

“Desde o início contei com o apoio dos meus pais. Quando eu tinha 15 anos, minha mãe descobriu um câncer e morreu dois anos depois. Em dezembro passado, perdi meu pai também por câncer. Não é fácil ter 23 anos e não ter pais. Mas sou grato por ter por perto minha irmã mais nova e minha namorada. Quero que tenham orgulho de mim”.

Share this post on: