Público na Quadra Guga Kuerten/Fotojump

A grande final do Rio Open surpreendeu o público que foi ao Jockey Club Brasileiro. Assim como acontece na Copa do Mundo, a decisão teve um envelopamento diferente do restante do torneio. A cantora Iza emocionou a torcida ao interpretar o hino nacional. O telão exibiu os nomes dos torcedores que compraram ingressos para a decisão. Ao som do sax do cantor e compositor Rodrigo Sha, o artista Ment fez um live painting com um grafite da brasileira Maria Esther Bueno, segurando o troféu de Wimbledon. Em seguida, o telão mostrou imagens da vitoriosa carreira da tenista, que morreu no ano passado.

Após a vitória de Djere, a Praça Rio Open ficou cheia para o show da banda Os Britos, criada para homenagear o conjunto de rock britânico The Beatles. O grupo é formado por Guto Goffi (bateria), do Barão Vermelho, Rodrigo Santos (baixo), ex-baixista do Barão, atualmente forma com Andy Summers (The Police) e Barone (Paralamas) o Call The Police, George Israel (guitarra), compositor, saxofonista e vocalista do grupo Kid Abelha, e Nani Dias (guitarra), que tocou com Lobão, Leo Jaime, Barão e Kid Abelha.

Com essas ações, o Rio Open deseja que os torcedores se sintam parte fundamental do torneio, e saiam do evento com uma nova perspectiva de entretenimento e tecnologia esportiva.

Diretor do Rio Open comemora bom público na edição 2019 

O diretor do Rio Open, Luiz Carvalho, comemorou a realização da sexta edição do torneio. “Estimamos um público superior a 50 mil torcedores, melhor que os dois últimos anos. A rodada de sábado parecia como a dos anos em que o Nadal (espanhol Rafael Nadal) veio. A cada ano que passa, nosso torneio cresce”, disse Lui, em coletiva de imprensa.

Lui disse que continuará sempre buscando trazer grandes nomes do tênis para o Rio Open. “Neste ano foi mais difícil, mas vamos seguir trabalhando para isso. Também estamos na luta para mudar o torneio para quadra dura, que é uma maneira de convencer esses nomes a jogar aqui”, explicou.

 

 

Share this post on: