Guga elogia Rio Open e comemora duelo brasileiro

22.Fev.2017


A passagem de Gustavo Kuerten pelo Rio Open sempre é especial. O tricampeão de Roland Garros e ex-número 1 do mundo chegou nesta quarta ao Jockey Club Brasileiro e, mais uma vez, comemorou a realização de um ATP 500 no Brasil. 

"O país vive um momento delicado, enfrenta dificuldades, então é um mérito conseguirmos fazer um torneio desse nível, de sucesso, pelo quarto ano consecutivo, com bons jogadores, com a boa presença do público", disse o maior ídolo do tênis nacional.

Guga acha positivo o duelo entre dois brasileiros na competição. "Somos poucos brasileiros no circuito e esporadicamente acontece de enfrentar um compatriota. Enfrentei o Meligeni (Fernando Meligeni) algumas vezes também, era estranho. O lado positivo é que vamos ter um brasileiro nas quartas de final. Acho que amanhã, o Thiago vai entrar mais solto e o Bellucci assumindo o favoritismo. Vai servir de teste para os dois", disse o ex-número 1.

Como sempre, o ex-jogador sofre por não estar em quadra. "Essa vontade de jogar, mesmo sem ter condições físicas (ainda sofre com problema no quadril), simboliza que foi muito bom tudo que fiz, que teve muito valor. Tento tirar proveito disso vindo aqui, de estar próximo, contribuir de alguma forma", disse Guga, que comemora em 2017 os 20 anos da primeira conquista do primeiro título no Grand Slam francês. "É um ano especial, faz tempo, muita coisa mudou, evoluiu. Mas acho importante resgatar essa história, é algo fundamental para inspirar a garotada".

Questionado na coletiva de imprensa sobre a possibilidade de virar treinador, Guga manteve a decisão já tomada há alguns anos. "Ser treinador está fora dos planos. Sei que tenho muito o que passar, mas a maneira que encontrei é com minhas escolinhas pelo país, investindo nas crianças, em formar bons treinadores. O Thiago passou pela escolinha, quando tinha uns 13 anos, hoje está no profissional", contou.

Sobre o Rio Open sair do Jockey para o Parque Olímpico, mudando do piso de saibro para a quadra dura, Guga acha que ainda é cedo para isso. "Temos um Parque Olímpico pronto, na mesma cidade, é normal pensarmos nisso. Mas consigo visualizar, pela dimensão que é o parque olímpico, um torneio na quadra dura, sendo um Masters 1000", disse.

Compartilhe